Loading...

sábado, 6 de julho de 2013

Pelagem de Cavalos

.. Link
As pelagens básicas se constituem em: Alazão, Baio, Branco, Cebruno, Colorado, Douradilho, Gateado, Mouro, Oveiro, Picaço, Preto, Rosilho, Tobiano, Tordilho e Zaino.

Pelagens Compostas:


Alazão chamalotado ou apatacado: Quando tem manchas mais claras e arredondadas.
Alazão dourado: O típico com reflexos do ouro.
Alazão típico: O que tem a cor da brasa ou da cereja.
Alazão ruano: Quando tem a cauda e crina claras.
Branco albino, melado ou rosado: Quando há uma despigmentação congênita, inteira ou parcial, das pestanas e da íris. Sua pelagem tem reflexos rosados. É sensível ao sol.
Baio branco ou claro: É uma tonalidade de creme desmaiado.
Branco mosqueado: O que leva pelo corpo, em forma irregular, pontos pretos do tamanho de uma mosca.
Branco porcelana: O que tem manchas pretas, as quais, por transparência, por meio dos pêlos brancos, produzem reflexos azuis da porcelana.
Baio achamalotado ou apatacado: Quando apresenta manchas redondas e mais claras do que o resto do corpo.
Baio amarelo: É como uma gema de ovo, quando estendida numa porcelana branca.
Baio encerado: Quando tem a cor mais escura, parecendo-se com a cera virgem.
Baio cabos negros: Quando tem as extremidades dos membros, da cauda e a crina escuras.
Baio cebruno: Também escura, levando no corpo manchas mais escuras do que o baio encerado. 
Baio dourado: quando tem reflexos do ouro.
Baio ovo de pato: Quando tem uma cor amarelado creme. Sua crina, cauda e cascos também são cremes.                                                                                                                                                                       
Baio ruano: é um baio com a cauda e crina claras.
Colorado típico: É avermellhado com o tom claro.
Colorado pinhão: Tem a cor do pinhão.
Cebruno ou barroso: Com a tonalidade mais escura do que a do baio cebruno, parecendo-se com a cor do elefante.
Douradilho: É um colorado desmaiado com reflexus dourados.
Douradilho pangaré: É o que tem o focinho, axilas e ventre mais claros.
Gateado típico: É um baio escuro acebrunado nas quatro patas e com uma linha escura, que vai da cernelha à garupa, com aproximadamente dois dedos de largura.
Gateado osco ou pardo: É mais escuro que o típico, assemelhando-se ao gato pardo.
Gateado pangaré: O que tem o focinho, as axilas e o ventre com a pelagem mais clara.
Gateado ruivo: O que tem a cauda e a crina aproximada a cor do fogo.
Lobuno claro: Quando se parece com a plumagem de uma pomba.
Lobuno escuro: Quando mais escuro do que o lobuno claro.
Zaino claro: Da cor da castanha.
Zaino negro: Como a castanha mais escura.
Preto típico: Tem a tonalidade semelhante ao carvão.
Preto azeviche: Preto vivo com reflexos brilhantres.
Tordilho claro: Quando tem predominância de pelos brancos.
Tordilho negro: Predomina os pelos pretos. Com a idade vai se tornando claro.
Tordilho chamalotado ou apacatado: Quando com manchas arredondadas mais claras.
Mouro negro: Se parece com o tordilho negro, com tonalidade azulada.
Mouro claro: É um gris azulado.                                                                                                                       Oveiro azulego: É um mouro claro com manchas brancas.
Oveiro bragado: Quando em qualquer pelagem portam manchas isoladas no baixo ventre.
Oveiro chita: É overo com manchas brancas salpicadas num fundo rosilho.
Oveiro de índio: Qualquer pelagem com manchas de tamanho médio.
Oveiro chita: É overo com manchas brancas salpicadas num fundo rosilho.
Rosilho abaiado: Quando tem pelos amarelados entre o vermelho e o branco.
Rosilho claro ou prateado: Quando predominam os pelos brancos sobre os vermelhos.
Rosilho colorado: Quando predominam os pelos vermelhos sobre os brancos.
Rosilho gateado: É um gateado com pelos brancos.
Rosilho mouro: É uma mescla entre pelos vermelhos, brancos e pretos.
Rosilho overo: Quando dentro da pelagem rosilha tem manchas brancas.
Rosilho tostado: Quando tem pelos tostados em lugar dos vermelhos.
Tobiano baio: É um baio nas mesmas condições dos demais tobianos.
Tobiano colorado: É um colorado nas mesmas condições do tobiano negro.
Tobiano negro: É um preto com manchas brancas grandes divididas com o preto.
Tobiano gateado: É um gateado nas mesmas condições dos demais.
Zaino claro: Da cor da castanha.                                                                                                                              Zaino negro: Como a castanha mais escura.
Também existem tobianos cebruno, alazão, douradilho, zaino, tordilho, etc.
Outros detalhes de pelagem

Entrepelado: O que tem uma mescla de pelagens diferentes, formando assim um total indefinido.
Pangaré: Quando descolorido em algumas regiões do corpo, sobretudo nas partes inferiores, destacando-se nas axilias, focinho e ventre, seu descolorido se assemelha a cana da Índia.
Rabicano: Quando nas caudas escuras tem pelos brancos na sua base.
Fonte: O Cavalo Crioulo



segunda-feira, 3 de junho de 2013

VIII RODEIO ART. E CULTURAL BENO SCHERNER

PROGRAMAÇÃO
Sexta-feira – 12/07/2013
19h – Solenidade oficial de abertura

           Sábado – 13/07/2013
08h – Hasteamento das bandeiras
08h30min – Declamação
12h – Almoço
14h – Causo / Tava
15h – Interprete vocal
15h30min – Tetarfe
18h – Arriamento das bandeiras
18h – Dança de fandango
19h – Dança de par

           Domingo – 14/07/2013
08h – Hasteamento das bandeiras
08h30min – Danças Tradicionais Mirim, Xirú.
08h30min – Escova
09h – Bocha Campeira
10h – Truco
            12h – Almoço
14h – Danças Tradicionais juvenil e Adulta.
           18h – Arriamento das bandeiras

           20h – Entrega dos Resultados

REGULAMENTO
Art. 1 – O VIII Rodeio Artístico e Cultural BENO SCHERNER, tem por finalidade a preservação, valorização e divulgação das artes, tradições e cultura popular do Rio Grande do Sul, promovendo o intercâmbio cultural entre os participantes.
Art. 2 – Poderão participar deste evento, todos os     interessados inscritos por uma entidade filiada ao MTG, que se propuserem a respeitar as normas deste regulamento.
Art. 3 – Inscrições:
- São gratuitas e deverão ser realizadas por um responsável da entidade.
- Todas as entidades deverão ser filiadas ao MTG.
- As inscrições encerrarão 30min. antes do inicio de cada prova.
- Serão respeitadas as idades correspondentes a cada categoria.
Art. 4 – Todos os requisitos serão avaliados conforme critérios do regulamento do MTG.
Art. 5 – DECLAMAÇÃO:  (Feminino e Masculino) nas    categorias mirim, juvenil, adulta e xiru.
A poesia será de livre escolha e deverá o participante entregar uma cópia a comissão avaliadora, que ficará para o acervo cultural do CTG.
Cada entidade poderá inscrever até 03 candidatos por categoria.
Art. 6 – DANÇAS TRADICIONAIS:
Categorias mirim, juvenil, adulta e xiru.
O nº de componentes de cada grupo é de no mínimo de 06 pares e máximo de 12 pares.
É indispensável à presença do representante do  grupo  na hora estipulada para o sorteio da ordem de apresentação. O grupo que não estiver na hora chamada no palco, será automaticamente desclassificado.
Art. 7 – DANÇAS DE FANDANGO: Categorias mirim, juvenil, adulta e xiru. Cada entidade poderá inscrever até 03 casais por categoria.  
Serão executadas as seguintes danças: valsa, rancheira, bugio e xote.
Art. 8 – DANÇA DE PAR:
Categorias mirim, juvenil, adulta e xiru.
Cada entidade poderá inscrever até 03 pares por categoria.
A dança é de livre escolha dos pares, devendo constar nas obras recomendadas do MTG.
Os concorrentes deverão trazer o CD com a música a ser executada.
Art. 9 INTERPRETE VOCAL:    (Feminino e Masculino)
Categoria até 15 anos e acima de 15 anos
A música será de livre escolha do candidato e deverá ser entregue uma cópia a comissão julgadora.
Art. 10BOCHA CAMPEIRA:
Cada entidade poderá inscrever até 03 trios.

***na categoria danças tradicionais xiru será aceito 2 (dois) dançarinos com menos de 30 anos e mais de 25 anos.
***o mínimo de pares nas danças tradicionais sera 5 pares conforme coletânea - cap.III, art.11 do regulamento artístico.

*AS MODIFICAÇÕES FORAM FEITAS PARA MELHOR ATENDERMOS À TODOS*

Palestra Festejos Farroupilha


sábado, 4 de maio de 2013

Tema dos festejos farroupilhas 2013


  Com o tema, já apresentado em 2012, “O RS no imaginário social”, Rogério Bastos enfatiza que, se o gaúcho nasce deste imaginário onde se encontram os mitos, lendas, contos e histórias, vê-se abrir uma janela para a recuperação das formas de ver, sentir e expressar o real dos tempos passados.
O imaginário é um sistema produtor de ideias e imagens que suporta as duas formas de compreensão do mundo: a forma racional e conceitual, que produz o conhecimento científico, e a das sensibilidades e emoções, que correspondem ao conhecimento popular.
Aprovada por unanimidade, depois de relatada por Marilane Mendes, a proposição teve três comentários favoráveis: Rui Rodrigues, José Aldomar de Castro e Maria Izabel Trindade de Moura. Será formado um grupo de estudos para confecção do livro dos festejos e para as palestras durante o ano.

sexta-feira, 3 de maio de 2013

A primeira execução do Hino Rio-grandense


A 30 de Abril de 1838, os farroupilhas obtiveram uma de suas maiores vitórias em todo o decênio revolucionário: a conquista da vila legalista de Rio Pardo. Em meio à euforia do triunfo, eles se deram conta de que havia sido aprisionada a banda militar do 2º Batalhão Imperial de Caçadores e seu respectivo maestro, Joaquim José Mendanha. Então lhe deram o encargo de compor a música do Hino da República Rio-Grandense. Historiadores afirmam ter acontecido a primeira execução em 5 ou 6 de Maio de 1838.
Apesar da denominação de "Hino Farroupilha", popularmente é chamado de "Hino Rio-grandense". Em 1934 o hino sofreu alterações sob a revisão do maestro Antonio Tavares Corte Real, que lhe adaptou aos versos de Francisco Pinto da Fontoura, bem como realizou pequenos reparos de ordem rítmica para acentuar o caráter marcial.


Postado por MTG-RS, às 20:26 em 30 de abril de 2013.

quinta-feira, 2 de maio de 2013