Loading...

sexta-feira, 26 de fevereiro de 2010


HISTÓRIA DO MACRAMÉ

A palavra Macramé significa "nó". Há versões que dizem que a palavra vem do árabe, outras do turco, outras ainda do francês.

É uma arte que se originou na pré história, quando o homem aprendeu a amarrar fibras para se agasalhar e criar objetos. Macramé é um trabalho artesanal muito antigo que tem nos nós o seu ponto de partida. É uma técnica que trabalha vários tipos de fios com nós.

Sabe-se que o Macramé é uma arte nascida nos países árabes. O termo deriva provavelmente da palavra árabe “Migramah”, que significa “franjas e tramas ornamentais”. Segundo o dicionário Hawaiss da Língua Portuguesa, “Macramé é uma espécie de passamanaria de linha grossa ou barbante que se entrelaça formando variados nós e desenhos”.

Supõe-se que a arte de atar e trançar fios tenham sido introduzidos na Europa pelos árabes no séc. XVI, como atestam ricas e variadas franjas, bordas e rendas expostas em diversos museus. Na Itália e na Espanha do século XVI, usavam-se bainhas de macramé em paramentos eclesiásticos.

Essa arte surgiu, provavelmente, quando os navegantes do Oriente Médio começaram a fazer nós com as cordas dos navios para preencher o tempo durante as longas viagens pelo mar. Estes navegantes vendiam ou trocavam as peças de macramé nos portos distantes e passavam as tramas feitas com as cordas para suas esposas e filhas, que começaram a fazer o trabalho em fios de tecido desfiados e com linhas colocadas no tecido. Os espanhóis aprenderam essa arte com os mouros e divulgaram-na no sul da Europa no decurso do século XIV. Assim, aos poucos o Macramé foi se difundindo pelo mundo.

Com a industrialização o Macramé passou por uma fase de esquecimento. Só no século passado (XIX) é que foi retomado o uso dessa técnica e com isso ganhou uma variedade de nós e de artigos como barras de toalhas, franjas, cintos, etc.

No Macramé a agulha de crochê é usada para colocar as franjas e para dar o acabamento final no trabalho.

Todo trabalho é feito com nós usando somente as mãos. Elas são as principais ferramentas para a confecção dos nós. Só precisamos das mãos e das linhas para fazer o trançado. Os dedos vão cruzando os fios formando os nós e os desenhos. O resultado é surpreendente. Surgem da combinação dos nós desenhos geométricos em franjas decorativas. Mas é necessária muita atenção e paciência para confeccionar peças impecáveis.

O Macramé, além de ser uma excelente terapia, auxilia a coordenação motora porque exige muito o uso das mãos e principalmente os dedos. Ele é fácil de fazer, rápido e gostoso e você pode executar seus trabalhos aproveitando os momentos livres.

Ele é um trabalho que pode ser feito tanto por mulheres como por homens. Antigamente era feito exclusivamente por homens.

O trabalho de amarração de nós e franjas, desfiado do próprio tecido ou colocado fio para trançar, têm nomes diferentes conforme a região do País: Amarradinho, Amarrilho, Macramé, Abrólio ou Bróia.

No Rio Grande do Sul, o macramé é muito utilizado nas ceroulas que os peões usam por baixo dos chiripás.

Até hoje a arte de dar nós é muito apreciada pela habilidade do artesão e delicadeza do trabalho.


http://artes-variedades.webnode.com/blog/macrame/

quarta-feira, 24 de fevereiro de 2010


Histórico do Município de Alvorada.

Oriundo do 3º distrito de Viamão, Alvorada nasceu as custas de muitos sacrifícios e lutas, tendo como origem, o antigo Passo do Feijó.
O Passo do Feijó surgiu em 1947 pela lei regulamentar de Viamão, começando assim a surgir núcleoas semi-urbanos com mais ou menos 46 vilas, constituindo-se de conglomerados de características exclusivamente urbanas.
Devido a sua localização distante de Viamão, e por ser muito extenso, o Passo do Feijó ocasionava problemas que impediam seu pleno desenvolvimento.
Com o aumento da população e a afluência de carreteiros na região, surgiram as primeiras casas de comércio. Eram armazéns estabelecidos ao longo da estrada. Constituíam-se de prédios de madeira com chão batido, ali vendia-se o fumo, a cachaça, o arroz e miudezas, transformando-se em ponto de parada obrigatória para os carreteiros. Dentre estas casas, as mais importantes eram: o armazém do Sr. Anibal e os armazéns dos Srs. Lothario e Frederico Dihl.
Começou então o Movimento para sua Emancipação, tendo em vista as dificuldades que estavam se apresentando na então Vila Passo do Feijó. Assim foi criada uma comissão dirigida por algumas personalidades mais ilustres da localidade. Os senhores: Marcolino Baptista da Silva, Elisardo Duarte Netto, Ricardo Faiquer Nunes e Armando Prestes, que lutaram arduamente para a emancipação de Alvorada.
A 17 de Setembro de 1965 através da Lei nº5026, foi assinada a Emancipação do Passo do Feijó, sendo dado o nome de Alvorada, simbolizando a esperança e o presságio de uma nova vida para seus habitantes. O nome foi escolhido por sujestão de um dos membros da comissão Pró-emancipação, levando-se em consideração a denominação do Palácio da Alvorada em Brasília, destaque no Cenário Cultural e Político do País, e ainda por ser o nome Alvorada de acordo com a realidade da população que acorda às primeiras horas da manhã e parte ainda nos albores do dia para o trabalho.
A instalação do Município ocorreu um ano após, no dia 12 de maio de 1966, quando passou a ser administrado com autonomia, pelo interventor federal Capital Antonino Antônio Alves, nomeado para administrar o Município por um período de 02 anos.
Foi em 15 de novembro de 1968, a primeira eleição, que elegeram o primeiro prefeito municipal, e vice-prefeito por uma gestão de 04 anos.
Inicialmente, desenvolveram-se atividades agropecuárias, sendo que foi a partir de 1948 que foram implantados os primeiros loteamentos, em função da necessidade de terrenos baratos ao longo da estrada do Passo do Feijó, atual Av Presidente Getúlio Vargas.
Alvorada, com 70,811 Km2, e área urbana legal de 52 Km2 ,situa-se na região leste da depressão central do Estado do Rio Grande do Sul, encontra-se também em condições privilegiada quanto a sua localização na região metropolitana face as condições de acesso a Porto Alegre. Tem posição intermediária entre o norte de Viamão e e Porto Alegre, com ligação pela RS 118, além de dar fácil acesso aos municípíos ao leste da região metropolitana e do norte do País através da BR 101 e a RS 020. Distante 16Km de Porto Alegre. Ao norte tem como limite Cachoeirinha e GRavataí, ao Sul Viamão e Porto Alegre, a leste Viamão e Gravataí e a oeste Porto Alegre. População (estimativa IBGE ) 211,233 habitantes.
O Brasão de Alvorada

Criado pela lei 208/77 em 26 de janeiro de 1977. O Brasão na sua representatividade se constiutui do seguinte:
  • Três ameias encimando o escudo, significando o poder.
  • No escudo, o nascer do sol, sobre as elevações e planícies.
  • Os telhados e chaminés, na representatividade, às indústrias.
  • No mesmo plano aparece um livro aberto, simbolizando a educação de nossos jovens.
  • Nas laterais do Escudo. rosas e cravos, representando o cultivo das flores.
  • Na base, uma faixa, indicando a data de emancipação, o nome do município e o do Estado.


HINO DE ALVORADA

Autora: Estelamaris Oliveira Cezar

Alvorada, terra amada
Valorosa e altaneira
És gloriosa e valente
Com orgulho és Brasileira.

Este povo que trabalha
Seu suor te faz crescer
Força, garra e coragem
O amor faz renascer.

Refrão: Alvorada, Alvorada
Sempre um novo amanhecer
És orgulho desta gente
Que te exalta e faz crescer.

Alvorada, brilha forte
Como o sol que vai nascer
Oh cidade abençoada!
És lição de bem viver.

Esta gente hospitaleira
Abre os braços com amor
Faz daquele a quem acolhe
Uma jóia de valor.

Alvorada sempre unida
Sem ter medo de avançar
Faz da solidariedade
Sua luz sempre a brilhar.

Este sol que nos aquece
Clareando em nossa história
Horizonte de esperança
Conduzindo para a glória.


Pesquisa realizada em acervo de documentos da prefeitura municipal de Alvorada.
E site http://www.alvorada.rs.gov.br/acessado em 24/02/2010.

segunda-feira, 22 de fevereiro de 2010

FOLCLORE



O que é Folclore?

A formação Artística divide-se em duas correntes a Erudita: de Caráter acadêmico, são as Artes Plásticas Propriamente ditas: Pintura,Escultura, Arquitetura ,Teatro , Musica e Dança . E manifestações que expressão elementos artísticos sem influência acadêmica,são tradições culturais transmitidas na grande maioria das vezes de forma oral , é o Popular: manifestações folclóricas como: Danças, Musicas, Religião, Festas, Brincadeiras infantis , Típicas, superstições, lendas, mitos dentre outras.

O Folclore é : O conjunto de manifestações de caráter popular de um povo, ou seja é o conjunto de elementos artísticos feitos do povo para o povo, sempre ressaltando o caráter de tradicional destas representações, sempre transmitidas de uma geração para outra através da prática
(os pais ensinam aos filhos, que desde pequeninos já praticam). O folclore varia bastante de um Pais para o outro, e até mesmo dentro de um Estado é bastante variável,pois as diferenças entre as regiões são muito grandes.No caso do Brasil o folclore foi resultado da união da Cultura a partir da miscigenação de três povos (Europeu, Africano, Ameríndio ). O que resultou é que em muitas regiões brasileiras o folclore é muito diferente, pois devido as influências de cada um destes povos formadores do Brasil, algumas regiões apresentam uma maior tendência a uma origem mais detalhada, por exemplo, no Nordeste na zona Litorânea as presenças das influências indígenas, Portuguesas e negra são que quase igualadas, já mais para para o Sertão a presença da Cultura negra não é muito marcante como no litoral .
Lembrando que as manifestações folclóricas brasileiras, na sua grande maioria são manifestações de caráter de um povo mestiço, ou seja sofrem influência de diversas raças,mas apresenta características próprias e que também a grande maioria são manifestações completas em caráter artístico pois possuem elementos do Teatro, Dança, Musica e Artes Plásticas.
O termo Folk-Lore foi empregado pela primeira vez em 22 de agosto de 1846. Donde fica agosto consagrado ao Folclore. Cultura, antropologicamente, é tudo aquilo que o homem faz, material e não materialmente, excluídas as necessidades fisiológicas. Também de difícil conceituação é a palavra povo. Aqui deve ser tomado como todos os participantes de uma comunidade. Folk-Lore, por ser formado de termos de duas línguas diferentes, leva a equívocos. Folk quer dizer povo; lore, o saber, o conhecimento, o costume. Pode-se afirmar: Folclore é o saber vulgar do povo. Não transmitido através de escolas e nem de livros e sim por imitação ou por força de tanto ver e ouvir. Para ser determinado como Fato inteiramente folclórico:
a) ser transmitido oralmente, de boca em boca, e não por meios eletromecânicos, como rádio, disco e livro.
b) ser social, praticado por muitos e não por uma só pessoa.
c) ser espontâneo, livre. Quando o professor dá um provérbio para ser analisado sintaticamente pelos alunos, aí não há o fato folclórico. já quando dito pelo mesmo professor ou pelos anos, espontaneamente, para explicar ou justificar um fato, nesse caso há o fato folclórico.
d) ser anônimo, não se conhece o autor de superstição,de uma dança popular, de um provérbio ou adivinhas.


http://www.brasilfolclore.hpg.ig.com.br/Acessado em 22/02/2010