Loading...

sábado, 20 de fevereiro de 2010

O QUE É A DANÇA - Seus benefícios


A dança é o movimento do corpo acompanhado ou não de música, mas sempre com ritmo.
De todas as artes, a dança é a única que dispensa qualquer tipo de materiais ou de ferramentas, dependendo apenas do corpo.
A palavra dança significa "desejo de vida e movimento". Sempre praticada tanto por homens, como por mulheres, é uma atividade tão antiga quanto o mundo.
A dança sempre foi utilizada por diversos povos e civilizações para contar seus feitos históricos ou em forma de agradecimento por uma boa colheita:
  • os índios dançavam para evocar as forças da natureza (dança da chuva);
  • os egípcios dançavam em adoração aos deuses e ao Faraó;
  • os chineses usam as danças em suas artes marciais;
  • os militares usam a dança em seus exercícios.
HISTÓRIA DA DANÇA

Procurando na história dos mais diversos povos, encontramos manifestações das mais diversas civilizações através da dança. É utilizada para contar seus feitos históricos , em alguns povos, no intuito de educar em algum sentido; entre os hindus, para fins religiosos, sendo também utilizada nos exercícios militares e para controle social. Vale acentuar que a dança sempre existiu nas mais diversas formas tendo duas origens ou classificações bem disitintas: a dança religiosa e a dança profana. Podemos afirmar com segurança que a dança nos seus primórdios tinha cunho meramente religioso, sendo usada para evocar os deuses ou as forças da natureza. Muitas vezes a dança tinha tão grande poder dentro de algumas religiões que era colocada como ato principal em alguns cultos, como por exemplo, a dança dos hindus em honra de Shiva, a dança de Krishna, que doutrina e educa; os egípcios também atribuíam à dança apenas um caráter de doutrina reliosa ou de culto aos deuses e ao faraó.
A dança que já foi utilizada e valorizada pelos gregos de formas clássicas e poéticas, não teve tanto prestígio entre os romanos. É somente na Renascença que a dança irá desabrochar, introduzindo mudanças que certamente não mais terminarão.
Essa transformação na Renascença aparece já nas primeiras sonata. A dança dita profana adquiriu seu maior impulso nesse período. Como profana, entendemos como aquelas que são populares e folclóricas. É aquela, cuja gestualidade é determinada pela visão da sociedade, como elementos morais que a visão "íntegra" ou pudorosa que alguns seguimentos religiosos condenam.
A França foi o país criador de vários gêneros de danças e festas, como também das próprias danças de salão com seus bailes de máscaras, criando também no séc. XVIII o minueto e divulgando a contra-dança. No séc. XVIII criaram as danças das cortes, entrando em cena as danças de origem burguesa, que durante o séc. XIX vieram a predominar em todos os bailes, com vários tipos de ritmos, como por exemplo, a valsa, a mazurca, a quadrilha e o ritmo escocês ou chote.
É na primeira metade do séc.XX que, além do surgimento de vários ritmos, outros tantos serão resgatados e mais divulgados, nascendo por exemplo, o jazz, o tango, e o samba, que serão bem difundidos. É neste século que vão surgir as primeiras preocupações com o folclore em geral.
Na dança, além de todo o valor cultural que possui, existem também outros valores que ela pode proporcionar ao ser humano. Basta entender que a dança, dentre todas as formas de exercícios é a que consegue um resultado mais completo em favor do ser humano, desenvolvendo simultaneamente vários valores.
Quais os valores que podemos desenvolver com a dança?
  • Valor físico: ela proporciona realmente um desenvolvimento de funões muito importantes para o ser humano. Desenvolve o ritmo, a resistência, o equilíbrio, a flexibilidade e a agilidade, melhorando ainda as funções digestivas, respiratórias e neuro-musculares.
  • Valor mental: desenvolve em primeiro lugar, a atenção do aluno, sua memória, seu raciocínio, sua imaginação e até mesmo, sua individualidade.
  • Valor cultural: o conjunto de costumes, lendas, tradições, religião, história e idéias estão presentes na aprendizagem da dança, em especial da dança folclórica. Podemos transmitir conecimento tanto de culturas regionais como nacionais e internacionais e sob os mais diversos aspectos, como música, indumentária, coreografia e gestualidade.
  • Valor social: pela dança podemos trabalhar melhor com o indivíduo, suas relaçoes interpessoais. a amizade com outros indivíduos, em especial ou com um grande grupo, a cortesia, a polidez, e o respeito são aspectos que estimulados pela dança, serão normalmente utilizados no dia a dia.
  • Valor moral: através da dança podemos trabalhar tambéma a cooperação, a disciplina, a autoconfiança, a iniciativa, a perseverança e a gentileza.
  • Valor recreativo: a dança tornar-se-á recreativa quando executada com uma dedicação espontânea, o que certamente auxiliará no alívio do estress diário, proporcionando satisfação e maior equilíbrio emocional.
  • Valor terapêutico: a formação do caráter e da personalidade do indivíduo que pratica a dança irá desenvolver-se com maior intensidade, pois a dança trabalha as reações neuromusculares, desenvolvendo a autoconfiança aos tímidos ou aos menos favorecidos socialmente. a dança cria ou dinamiza vários valores que são de suma importância para o homem e suas tradições ou destas discordando, auxiliando a capacidade de escolha e criando boas opções nos mais diversos sentidos. A dança trabalha a iniciativa própria dentro de um ambiente sadio em que o praticante da dança irá descobrindo gradativamente suas potencialidades. Além dessas contribuições de significado moral, mais importante é o aspecto social da dança, pois certamente a relação do praticante da dança com o meio ambiente proporciona uma boa oprtunidade de sociabilidade, sendo também uma terapia para vários problemas psicomotores.
Continua...

Um comentário:

  1. PARABÉNS AO CTG SENTINELAS DO PAGO

    Na última edição de janeiro do Jornal A Semana, abordamos no chasque “o teu CTG não tem blog? Site?”, a importância da globalização das nossas entidades tradicionalistas por intermédio da internet. Pois olha que o chasque está começando a fazer efeito. Agora, além do CTG Amanhecer na Querência, o CTG Sentinelas do Pago colocou o seu galpão virtual no ar, mais precisamente com a publicação do primeiro chasque no dia 03 de fevereiro, às 9h21min, com um breve histórico desta entidade tradicionalista. Está de parabéns a patronagem do CTG por esta bela iniciativa, pois como diz o blog Mundo Gaúcho, “CTG que não está na internet não está no mundo”. Bueno! A porteira do CTG Sentinelas está aberta, sem tranca e sem tramela. É só acessar no www.sentinelasdopago.blogspot.com. Uma das maneiras de fazer o blog do teu CTG é por intermédio do galpão virtual www.blogger.com.


    Este chasque, além de publicarnos neste jornal, publicanos no Chasque de Primeira e no Chasque Pampeano. Iniciativas como esta, sob o comando da Carine e apoio incondicional da patronagem, merecem todo o nosso respeito. E o blog é muito rico em conteúdo cultural gaúcho. Parabéns!

    Valdemar Engroff - o gaúcho taura - www.obolsodabombacha.blogspot.com

    ResponderExcluir